22 de set de 2009

Cesar quer saber quando morro

Cesar, há muito tempo, espera meu "acidente" (bala, moto ou vício). Como se resolverá isso?  Quando esta noite findará? Rosh Hashaná.
Todo dia é ano novo. O sol, César, séculos e séculos, silenciosamente, aquecendo nosso abandono. Que inventamos? A vergonha, a violência, a inutilildade das mulheres, as sociedades secretas dos homens. Poderíamos ter inventado a alegria, a equidade, a justiça, a benevolência, a verdade, a fraternidade, o elogio da maternidade.
Inventamos a nanotecnologia e esquecemos as lombrigas dos ribeirinhos. Criamos ribeirinhos para nossa alimentação. Rapazes da Febem para servir aos deputados e velhos de São Paulo...
Criamos Fausto e precisamos beijar a cruz para ser aceito na sociedade dos homens...
Crítica da cultura.
Quem está feliz não critica, canta.
Gorjeia no twitter.
A pureza de Cristo é mais revolucionária que todos os trotskista do PSOL. 
O cristo das igrejas é um cristo vestido, vendido, falso, ensanguentado - apenas um mecanismo de dominação ideológica.
A verdadeira luta não é mais enfrentar os leões nas arenas de Roma. Agora, a luta é enfrentar os processos de dominação que embrutecem e estagnam.
A linha Spartacus é se fazer odiado pela classe dirigente.
A linha Cristo é se fazer amado pela classe dirigida.
Fazemos nossa escolha todos os dias.







Powered by ScribeFire.