7 de out de 2009

A opinião de Dalton F. dos Santos

A capitalização da Petrobras significa a montagem da maior das fraudes contra o povo oprimido e os trabalhadores do Brasil.


por Dalton F. Dos Santos* / Soberania.org - 05/10/09



O  patrimônio da Petrobras, calculado pelo governo, é R$ 312 bilhões. Deste total, um terço (R$ 100,5 bilhões); ou seja, 32,21% das ações da Petrobras pertencem a União. Ao BNDES, Previ e FGTS cabem 13,27% (R$ 41,1 bilhões) das ações da Petrobras. A maior fatia, 54,62% (R$ 170,4
bilhões) está nos cofres das burguesias nacional e internacional. 

O discurso do governo Lula afirma que é preciso tornar forte a Petrobras. Logo, é necessário capitalizá-la. E para tornar ainda mais forte a Petrobras, R$ 100 bilhões serão lastreados com 5 bilhões de barris de petróleo do povo brasileiro.

Desde 2005 que o preço médio do barril de petróleo é US$ 70. Então, 5 bilhões de barris de petróleo valem hoje US$ 350 bilhões. E R$ 100 bilhões valem hoje US$ 55,5 bilhões.

No final dessa manobra, das mais fraudulentas, sobram US$ 294,5 bilhões. A miséria do povo brasileiro é quem vai bancar as obras faraônicas do projeto IIRSA, apelidado de PAC, aqui no
Brasil. Assim, fica comprovado que o projeto IIRSA, ou PAC, tem como única finalidade transformar o continente latino americano e caribenho numa enorme ilha de escravidão. E o governo Lula é peça chave no desenvolvimento dessa estratégia imperialista. Aproveita do crédito do pré sal ultraprofundo para endividar ainda mais o povo brasileiro.

A humanidade vive hoje a época do maior desenvolvimento das artes tecnológicas. Todavia, a qualidade de vida para a imensa maioria da humanidade piora, porque a época atual é de decadência e empobrecimento cada vez maiores da sociedade humana. 

Vivemos a época de concessões apenas para a burguesia internacional dadas pelas burguesias nacionais de países fornecedores de matéria prima, cujos governos também de frentes populares servem aos interesses do imperialismo capitalista. 

A destruição da espécie humana, da natureza e de todas as forças produtivas da humanidade será de forma massiva. 

É isso que justifica a permanência do modelo de regime de concessão,  estabelecido pela lei 9.478.97 de FHC, no novo marco regulatório do governo Lula.


[*] Dalton Francisco Dos Santos / Geólogo e Diretor do Sindipetro de Alagoas e Sergipe (ALSE), Brasil / Email:santos240@gmail.com


Powered by ScribeFire.